Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras com som

Gosto das palavras que escrevo, enquanto danço com os meus sentimentos ao som das músicas que escuto. Às vezes é o silêncio que me empresta toda a serenidade que faz nascer a poesia na ponta dos meus dedos.

Palavras com som

Gosto das palavras que escrevo, enquanto danço com os meus sentimentos ao som das músicas que escuto. Às vezes é o silêncio que me empresta toda a serenidade que faz nascer a poesia na ponta dos meus dedos.

Lonjura

61748497_2262431020677356_1319310534813679616_n.jp

Ausência, distância, 
espaço!
Palavras substantivas
de lonjura!

Longe! Tão longe!
Que loucura!...

A distância não existe
no pensamento!...
Vive na angustiada saudade,
triste palco do lamento! 

Tu és a saudade 
do meu querer,
do meu sentir, do meu viver!

Eu sou o poeta 
que te veste de palavras
e se alimenta de versos
para de amor…
... não morrer! 

José Manuel Macedo - Autor

Eterno amanhecer

60683517_2259715630948895_1217484372123320320_o.jp


A noite adormece nos braços do dia
e revelas-te por entre as brumas 
da madrugada!

És mar ondulando numa estreita enseada!
Eu, rio infrene ao encontro do teu mar!

Uno-me a ti na praia dos sonhos e possuis-me
em remoinhos até ao por do sol!

Renascerei contigo a cada manhã
quando o sol nascer!
E faremos de cada madrugada
o nosso eterno amanhecer!

José Manuel Macedo - Autor

 

Ilusão dos meus sentidos

59928519_2250859618501163_2444473910599614464_n.jp

Desnudas-me a alma
e queimas-me
no pecado da sedução!
Dás-me a beber da tua fonte
e abrasas-me
com o fogo da paixão!
Afogas-me no teu rio de mel
e elevas-me
às delicias do céu!
Vestes-me de saudade
e abandonas-me
na praia da solidão!

 

Oh! Meu anjo do pecado,
ilusão dos meus sentidos!
Como o vento em movimento
sobre a areia ao luar
apresa o meu corpo no teu
e afoga-me nesse teu mar!

 

Autor - José Manuel Macedo

Cereja

60098548_2248846992035759_6351048168720826368_o.jp

Seduz-me o teu corpo arredondado
vestido de cetim rosado!

 

Minha boca se abre ao teu feitiço!
Meus lábios ávidos da tua essência
beijam-te numa doce envolvência!

 

Fecho os olhos,
sinto-te em mim!
Meu sorriso tem outro encanto,
tem a cor do carmesim!..

 

Jose Manuel Macedo - Autor
Imagem: Tela do artista plástico João Salcedas

 

Anjo do amor

58787534_2242419772678481_7418887324676653056_o.jp


Este amor que me conquista
me percorre e me invade
na ânsia de te encontrar,
cria uma imagem constante,
perfil de anjo do amor,
qual ser alado a voar.


Entre um silêncio gritante
ouço palavras de raiva.
São expressões de uma ausência,
são torturas que originam
sentimentos de impotência.


Perante algo que é belo
não é de todo singelo
o argumento razão,
pois só quem não amou,
não percebe como ficou
vencido pelo coração!


Então, encolhido no meu cantinho
murmuro muito baixinho:
Que foi que me aconteceu?
Donde veio tal tentação?


Por mais que procure a resposta
não a encontro em nada!


Vislumbro no firmamento uma luz.
Me seduz seu movimento.

E o caminho a que me conduz
é a ti...
meu anjo, minha alegria,
meu sofrimento…


José Manuel Macedo - Autor

Sementes de rosas

IMG_20190421_123620.jpg

 

Abro as janelas da minha alma e deixo os ares me renovarem, numa simbiose perfeita com a natureza de que faço parte!


Estou só, despido de fantasia, numa estação do tempo, carregado de energia. E faz-me falta a tua companhia!


Não me escutas? Não me sentes? Estou aqui, em cada instante da tua ausência, em cada um dos teus silêncios!


Aqui, onde planto sementes de onde nascem rosas, libertando desejos e acordando paixões!


Aqui, onde as letras são vestidos que te dispo e as frases raios de luz que te acariciam!


Aqui, onde a cada sonho te faço viver e morro a cada silêncio, por saber que apenas és a letra que passo a escrever!

 

José Manuel Macedo - Autor

Santo ou pecador

57004911_2236099166643875_3964468583320256512_o.jp

Despes-me a alma,
e a inocência do teu pecado
faz de mim um penitente
para sempre condenado!

 

Que me importa eu pecar
se o meu pecado é paixão
e o teu corpo o altar
onde me imolo e renasço?

 

Há dois caminhos na vida,
a de santo ou pecador!
Qual deles, pouco me importa!
Só juntos seremos eternos!
Imortais… só pelo amor!

 

José Manuel Macedo – Autor

Reviver

56608910_2233005390286586_155125392573726720_o.jpg


Existe em mim a vontade,
em mim mora ainda a saudade
de viver de novo o momento
em que me apaixonei por ti!

 

Reviver o instante
em que a tua boca sedente
uniu teus lábios aos meus,
num longo beijo ardente,
num louco beijo sem fim!

 

José Manuel Macedo – Autor

Tudo tem fim

54519126_2220011444919314_2709318284313886720_n.jp


Tudo é belo na vida,
tudo é belo ao viver!
Tudo na vida acontece,
tudo pode acontecer!


Tudo na vida tem fim,
tudo tem fim…
se morrer!

 

José Manuel Macedo - Autor

Carta de amor

53356749_2212649255655533_8272845978399145984_o.jpMeu amor,


Na minha mente ainda guardo a tristeza que vi nos teus olhos quando me disseste adeus. Tentei ser forte e sorrir, mas também os meus não conseguiram evitar que algumas lágrimas se soltassem.


Não foi culpa tua teres partido! Não foi culpa minha ter ficado! O teu futuro estava noutro lugar e tu estavas impedida de comigo o partilhar. Na ausência que repartimos, nas incertezas que tivemos, houve sempre um sinal, uma luz, que nos mantinha alerta para o instante em que tal viria a acontecer! Mas era algo distante, algo em que na verdade não pensávamos sequer!


Contigo deixei o meu coração! Comigo trouxe a saudade! Os dias tornaram-se difíceis e o tempo não mais sorriu para mim! O sol já não voltou a aquecer-me e o inverno instalou-se na minha vida.


Cheguei agora da rua onde o ar gelado fustigou o meu rosto! Apressado entrei no aconchego do meu quarto, mas ele também está frio e vazio!


A noite aproxima-se rapidamente e eu estou só! Estou só e não estou feliz! A cada dia que passa sinto que estás mais longe, mais distante de mim! O tempo, imparável, não perdoa aquele momento em que disseste adeus. Continuou sua marcha sem nos dar a chance de um arrependimento! Com ele também eu segui, carregando em mim a tristeza do adeus e o vazio da tua ausência!


Apesar disso, ainda aguardo notícias tuas! Talvez te sintas só e a minha ausência te faça lembrar o calor do meu abraço. Sinto que para lá do horizonte a tua alma sente a minha.


Espero, nesta viagem sem movimento, voltar a ti, ouvir-te de novo e sentir que no teu olhar a esperança de outros tempos ainda existe.


Espero voltar ao lugar onde as nossas mãos se separaram pela última vez, para voltarem a tocar-se! Espero voltar ao lugar onde me amavas, para ouvir o som das tuas palavras, e sentir de novo um arrepio de prazer, depois de a tua boca se juntar com a minha e o meu corpo com o teu!


Nesta noite escura sentei-me para te escrever, porque as palavras continuam a brotar-me dos dedos, à procura das tuas, à procura de ti!


Do sempre teu, Hélio.

 

José Manuel Macedo - Autor


(A minha homenagem à mulher! Contra à violência, uma carta de amor!…

Carta publicada na Antologia "Três quartos de um amor", edição da Chiado Books // Portugal 2019).

Mar bravio

52583891_2202917816628677_3279626044994224128_n.jp

O ar frio da manhã torna o tempo
desgostado!
O céu está claro, a cor azul,
o ar gelado!

 

Longe vem a primavera e o verão
é ainda uma quimera!

 

O tempo em nada mudou nas terras de Afrodite!
Onde te despes é também inverno
e o mar em plangida queixa, morre na praia
num vai vem eterno!

 

Oh! quem me dera que fosse verão
e tu ficasses comigo
naquela praia deserta!

 

Oh! quem me dera que no mar do teu desejo
eu pudesse navegar em sensual descoberta!

 

Oh! quem me dera tomar tudo o que perdi,
ondas de desejo galgar, acalmar teu mar bravio
e morrer dentro de ti!

 

José Manuel Macedo – Autor

Hoje tudo me sabe a ti

52602188_2199015473685578_7269207229079748608_n.jp

 

Até o café da manhã tem a fragrância
do teu perfume!
Como se ele fosse o teu corpo
como se ele fosse o meu lume!

 

Até o pão doirado tem o sabor a mel!
Como a tua pele na minha boca
como a tua boca na minha pele!

 

José Manuel Macedo - Autor

 

 

Insanos pensamentos

51196894_2193026950951097_1444208995530178560_o.jp

Não me escondo atrás das palavras,
nem dos silêncios
ruidosos que ferem os sentimentos!
Não me furto aos insanos pensamentos
que fazem ecoar em mim teus gritos
de prazer!


Deixo que eles ecoem em minha alma
para assim te reviver!
Recuso a ânsia da solidão que me toma
na distância que te afasta.
Esvaio as palavras em frases cheias de nada
e deixo que o sonho me invada!

 

Arde em minh’alma o calor do teu ardume,
como se fosse meu o teu fogo,
como se fosses tu o meu lume!

 

José Manuel Macedo – Autor

 

Beijo

50001268_2180756338844825_8616259743637307392_n.jp

Tenho saudade do teu beijo!
A minha boca e o meu corpo
querem-te de novo sentir
e provocar teu desejo!


Sei de todos os caminhos
que vão dar a ti!
De todas as rotas ainda por traçar
que cruzam esse teu mar!


De olhos fechados reconheço cada curva
da tua pele!
Até mesmo esse recanto secreto
onde te ocultas
quando o desejo é presença incontrolável!


Eu sou afinal o teu próprio desejo!
E tu sentes isso, porque me sentes a cada segundo,
quando o sol te aquece a pele ou a lua
te banha de prata!


Eu quero estar nesse teu mundo
e com as saudades acabar!
Matar saudades de ti
mergulhando nesse teu mar!...

 

José Manuel Macedo – Autor

Um novo ano contigo

49038960_2171079469812512_5336813851046313984_o.jp

Um novo ano vai começar!

Sei que a realidade não muda,

quando essa hora chegar!

 

Vamos brindar e renovar votos

em utópicas esperanças!

O futuro é tão incerto e os sonhos

são desejos guardados no coração!

 

Ao entrar no novo ano

eu vou brindar ao futuro,

mas é do passado que eu vivo!

Pouco me importa o que virá

se lá não estiveres comigo!

 

José Manuel Macedo – Autor

Encontrei a felicidade

48373288_2160152670905192_6420953442977579008_o.jp


Encontrei a felicidade
no teu olhar,
no teu sorriso,
no teu carinho.
Pelo teu olhar
me prendeste!
Pelo teu sorriso
me tiraste da solidão!
Pelo teu carinho
te entreguei meu coração!
Em tudo o que possuis
existe felicidade!
Em todos os teus gestos
existe serenidade!
Até nos teus beijos
longos e ardentes
tanta felicidade existe,
que eu quero morrer
beijando teus lábios!
Quero no último momento
tua boca saborear
e morrer de amor,...
morrer de amar!


José Manuel Macedo - Autor

 

 

Outono da vida

46464915_2143389412581518_1575537035173691392_o.jp

 

As folhas caem, as árvores despem-se, o outono chegou!
Aos meus pés, as folhas secas espalhadas pelo chão, suspiram baixinho quando os meus passos as tocam na sua fragilidade…
São momentos de paz e quietude, num ruido silencioso que a alma absorve!

 

Enquanto caminho, um cabelo branco sai da minha cabeça e cai ondulando no chão!
Casualmente, meus dedos descobrem uma ruga furtiva que se junta a outras que há algum tempo me acompanham!


Sorrio feliz!
Experimento em mim a realização do tempo, uma prova de vida vivida!

 

Sigo em frente com a certeza de que a vida vale a pena, quando a alma floresce neste outono feito de folhas amarelecidas!

 

José Manuel Macedo – Autor
Foto do autor – Rotunda das Oliveiras - Covilhã

Tão perto do céu

45668750_2138243289762797_3394944113005559808_o.jp

 

No alto da serra exilado, a montanha é o meu abrigo sob o céu iluminado! 
Às vezes um vento suave agita o ar, e na brisa que me me acaricia, eu sinto o teu respirar!

 

Neste lugar tão perto do céu, quebra-se então o silencio, e um grito de libertação ecoa! 
Aqui, tão perto das estrelas, a palavra ganha voz e o silencio abre-se para deixar passar o verbo amar!

 

Em noites de plenilúnio, aguardo que o sol nasça, para que da luz que dele emana, eu sinta o calor da tua pele sobre a minha!

 

A suave fragrância do teu corpo penetra-me a consciência, e faço dele o jardim proibido, onde os sentidos morrem de prazer!

 

E nós somos um instante, um momento que nos condena ao prazer da fusão, na esperança de um momento intemporal.

 

José Manuel Macedo - Autor

Naquela manhã sem tempo

44361916_2127330414187418_947824365112655872_o.jpg

 

Deixaste que eu fosse a tarde, naquela manhã sem tempo!
Quiseste que eu fosse a chama, beijando o sol de que és feita!
Naquela manhã sem tempo, o teu prazer recebi,
na loucura do momento, em teu corpo o consumi!

 

Nessa união consentida, foste a simbiose vivida
no amor que desejaste, na paixão que despertaste!

 

Foste o sol e foste a lua, foste uma flor em botão
suave gema liliácea, a florir em minha mão!

 

José Manuel Macedo – Autor
Foto do autor - Viana do Castelo